terça-feira, 22 de setembro de 2009

SOBERBA E ORGULHO, SENTIMENTOS SUTIS

Soberba é o sentimento negativo caracterizado pela pretensão de superioridade sobre as demais pessoas, levando a manifestações ostensivas de arrogância, por vezes sem fundamento algum em fatos ou variáveis reais. O termo provém do latim superbia.

Orgulho é um sentimento de satisfação pela capacidade ou realização ou um sentimento elevado de dignidade pessoal. Em Português a palavra Orgulho pode ser vista tanto como uma atitude positiva como negativa dependendo das circunstâncias.

O MAIOR DOS ORGULHOSOS

"Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; lancei-te por terra, diante dos reis te pus, para que te contemplem." Ez 28.17

A SOBERBA E QUEDA DE SATANÁS

”Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. Contudo, serás precipitado para o reino dos mortos, no mais profundo do abismo.” Is 14.12-15

CONCLUSÃO

Quando se trata do nosso eu, das nossas convicções, de nosso querer, de nossos pensamentos, de nossos desejos, de nossos posicionamentos, de nossas determinações interiores mais intimas, não poucas vezes saímos e deixamos totalmente a posição de servos de Deus para sermos ''servos de nós mesmos'', isto não apenas com relação exclusivamente direta a Deus, mas também indiretamente com relação a nossos irmãos, quando, por exemplo, falamos ou agimos com eles [entenda-se em irmãos a família natural inclusa] de modo diferente que o Senhor Jesus falaria ou agiria...

E é neste contexto de se fazer prevalecer o que achamos que ''deve'' prevalecer que habitam dois grandes, antigos e perigosos aspectos: o orgulho e a soberba.
Não é nada fácil tratarmos destas áreas tão sutis (mas que diante do nosso Deus estão bem claras) em nosso interior, quanto mais cura-las, porem temos que nos fazer lembrar de onde surgiram tanto o orgulho quanto a soberba (infelizmente no próprio céu com um querubim de alto ''nível'') e reconhecermos que isto em nossas vidas não agrada ao Pai, mesmo que seja dolorido para nós tirarmos estas coisas que por vezes parecem fazer parte do nosso EU, como nossa ''honra''.
No entanto se quisermos e deixarmos o nosso Pai tem todo o poder para arrancar com incrível amor este mal que só vem a nós para nos afastar terrivelmente de quem tanto amamos e nos ama: Deus.
Contudo se abrirmos uma brecha para o Seu Filho Jesus, Ele certamente irá nos refinar como uma jóia e de um modo todo especial e individual irá nos mostrar que atitude devemos tomar e ter para que nem a soberba e o orgulho aprisionem nossa alma, nosso coração, nosso espírito e até mesmo nosso próprio corpo físico.

Se decidirmos então, ceder a ele e não ao nosso orgulho, sem dúvida alguma o Pai nos ajudará e não nos lançará fora, mas com Sua autoridade plena, poderá nos aperfeiçoar mais um pouco em Sua presença, e nós como filhos semelhantes a Jesus, Seu primogênito, poderemos então em mansidão e humildade de coração (como ele é) desfrutar todo o bem do senhor Deus aqui na terra, pois um coração cheio de si, de auto reconhecimento, de justiça própria, de sabedoria própria e vaidade não pode ser considerado um coração de um filho e menos ainda um coração que tenha conhecimento das coisas mais altas do reino de Deus e comunhão com o próprio Deus vivo, mas... a um coração quebrantado (humilhado) o Senhor Deus não resistirá, que sejamos todos então quebrantados em amor e misericórdia pelo Pai!

Um comentário:

Cristi@ne Augusto - disse...

Paz queridos...gostei muito deste post...que Deus tenha misericórida de nós e nos aperfeiçoe em sua palavra a cada dia!
Deus abençoe suas vidas...paz...