quinta-feira, 2 de agosto de 2012

ADUBANDO A INVEJA

"...Ignore a tua mão esquerda, o que faz a tua mão direita" (Mateus 6:3.)
Nós, a coroa da criação de Deus temos uma necessidade imensa de falar sobre o que fazemos. Não é assim?
Parece até que a queda injetou em nosso DNA um cromossomo político. Parece até a síndrome do Sid (da Era do Gelo) que anuncia tudo o que faz a ponto de ser recriminado por seus amigos por tal atitude!
Encontramos pessoas que é quase impossível conversar com as mesmas, dada a quantidade de "eu fiz – eu faço – eu vou fazer - eu aconteço" que as mesmas possuem para contar(minar). Será isso necessário? De certa forma não é um depreciar do (texto de João 15:5)?
Nosso irmão Tiago nos orienta a usar bem pouco nossa língua e assim falar pouco e usar bastante nossos ouvidos, ouvindo mais do que falamos, porém, percebemos a nítida inversão desta ordenança. Há uma necessidade quase incontrolável em falar muito e ouvir pouco ou quase nada.
É correto anunciar tudo o que fazemos, realizamos, empreendemos ou sonhamos aos outros? Talvez para nossas bisavós fosse, mas na atual sociedade isso se torna uma armadilha!
Pelo menos um aspecto vamos apontar para meditarmos acerca do assunto em questão: Por que e como a inveja é despertada, toma “vida” e muitas vezes cresce assustadoramente produzindo morte?
Nem sempre, mas na maioria das vezes porque se fala demais, se diz algo e a outra pessoa começa a observar, atentar e fatalmente a semente da inveja inicia seu germinar no solo daquele coração, e o pior é que não fica só nisso. Portanto, muito discernimento para anunciar aos outros o que se faz. Não por acaso existe na Bíblia Sagrada um texto assim: “A inveja é como podridão nos ossos” – (Provérbios 14:30)
Ora, o que são os ossos para o corpo? Não são como as colunas nos grandes edifícios? E se as tais ruírem, tudo o mais ruirá junto! Percebe o perigo?
Para sermos bem honestos conosco mesmos, não devemos nem anunciar a nós mesmos acerca do que fazemos. Alguma vez você não empreendeu um ato de caridade e logo em seguida começou a refletir e a se arrepender? Pois é, em assim fazendo damos margem para o inimigo semear confusão em nossas mentes ou então começamos a desenvolver o nosso ego e ele desenvolvido torna-se num inimigo fatal para nós mesmos.
É um gigante que se alimentado fatalmente nos devorará. O Senhor disse que: "não devemos tocar trombetas diante de nós mesmos"- (Mateus 6:2)
E também disse: "...Ignore a tua mão esquerda, o que faz a tua mão direita" (Mateus 6:3).
Entretanto, ao tirarmos o foco de nós e nos atermos em fazer a vontade do Senhor e em agradá-LO, veremos que Ele tem uma maneira excelente e absoluta de levar em consideração TUDO o que pensamos e falamos, sentimos e empreendemos nEle e absolutamente nada será esquecido. (I Coríntios 15:58).

Pode ser que não venhamos receber de fato a recompensa (a atenção) que esperávamos aqui e agora como queremos, mas certamente não seremos vítimas das cirandas de satanás através de uma das armas mais poderosa que ele possui contra nósa inveja.
“O furor é cruel e a ira impetuosa, mas quem poderá enfrentar a inveja”?Provérbios 27:4.
 por Vilson Ferro Martins – Visitem  www.vozdotrono.com.br

Nenhum comentário: